OFICINA DE ESCRITA REPARADORA

Conteúdo programático da Primeira Versão

A Oficina de Escrita Reparadora se desenvolve em 5 momentos: Sensibilização; Reflexão teórica; Escrita Reparadora; Leitura e Grupo Operativo.

Apresentação da proposta.

Reflexão teórica sobre os seguintes conteúdos: Pichon-Rivière – O Processo de criação – A perda – O estado de tristeza – A vivência do objeto destruído – O objeto criado – A reparação – A passagem do sinistro para o maravilhoso. O Mundo Interno, cenário de nossas experiências de aprendizagens; Cenas congeladas bloqueadoras de outras aprendizagens. O Vínculo, personagens, transferência. A Metáfora como síntese do processo reparador.

Nesta Oficina trabalho com as seguintes vivências: Recuperando nossa história; Os Vínculos significativos; A Palavra; Os Medos. A Poesia emergente.

 

OFICINA A ARTE DE ESCREVER PARA REPARAR

UM POUCO DA HISTÓRIA

Para entender o nascimento da Oficina “A Arte de Escrever para Reparar” é necessário explicar um pouco sobre sua gestação.

Minha primeira formação foi Letras (Professora em Letras Modernas e Contemporâneas – UBA, Argentina). Profissão que exerci durante os últimos cinco anos (85-90) na Universidade de Lomas de Zamora, antes de residir em Salvador, Bahia, Brasil.

Minha segunda formação foi na Primeira Escola Privada de Psicologia Social fundada por el Dr. Enrique Pichon-Rivière, Buenos Aires, Argentina, durante cinco anos (de 1983 a 1987); profissão que exerci na Escola de Psicologia Social de San Martín, em Buenos Aires, nos últimos dois anos antes de estabelecer-me em Salvador.

A possibilidade destas duas formações me permitiu articular o conhecimento de duas áreas que tinham um ponto, ou tal vez mais de um, em comum: o processo de criação. Obviamente quem faz Letras não necessariamente escreve, mas tem ferramentas para compreender o processo de produção de um texto. No meu caso tive as duas possibilidades, desde os cinco anos fui alfabetizada e com nove anos começo a escrever poesia. Escrever para mim é um processo interno materializado.

Este processo está conectado a meu pai, que incentivou minha leitura, e que morre quando tinha nove anos. Tenho imagens de ser dia de domingo pela tarde, em casa, lendo nas reuniões familiares, os poemas que havia escrito. Eram poemas que falavam das visitas ao cemitério para levar flores ao seu túmulo, me perguntando pela morte e o lugar onde estaria sua alma, seu espírito ademais de estar nas estrelas, no céu. Nesse momento não sabia as razões de por que tudo isso era escrito. Escrevia porque eu gostava de escrever. Não era consciente de quanto me fazia bem, de como e quanto estava elaborando a sua morte, fazendo o luto, através da escrita.

Breve história da oficina A arte de escrever para reparar.

Como um ritual, em janeiro de cada ano, desde 2008, realizei a oficina “A arte de escrever para reparar”. Uma experiência pessoal que me permitia integrar os conhecimentos das minhas duas formações: as Letras e a Psicologia Social pichoniana; nela ia percebendo quanto era transformadora, como resultava curadora para as pessoas que participavam e ia confirmando a eficácia da escrita para a reparação de situações de perda, de bloqueios; de dores detidas no passado, latentes; palavras nunca ditas.

No ano 2012, surge una nova demanda: dar continuidade ao processo da Oficina. Então organizo cinco novas versões da mesma e a partir da terceira trabalho com temas específicos a partir dos resultados da experiência previa: “Cenários, personagens, vínculos e metáforas”.

Em 1° de julho de 2013 foi convidada pela Direção de Gestão Cultural para fazer esta oficina no Espaço Cultural da Biblioteca do Congresso Nacional da Argentina, que se desenvolveu com alunos que participam da Oficina de Escrita e Leitura da instituição, coordenada por Adriana Agrelo.

 

Com a palavra,  aqueles que a vivenciaram 

“A oficina desencadeou em mim o sentimento de que posso escrever com criatividade, mas que preciso me dedicar a fazê-lo.”

“Considero que essa oficina foi fundamental para potencializar a minha expressão através da escrita. A forma simples, descontraída e esclarecedora da sua condução, fez com que, sem esforço algum me visse escrevendo, encontrando uma forma, e quem sabe com a continuação, possa nomear esse estilo que vejo surgir e que muito me agrada.”

“Sondar minha intuição e minha capacidade criativa, bem como rever o medo do que eu produzo ( eu sou minha obra também) foram algumas das principais contribuições da oficina”.

“ Conseguir perceber as minhas perdas e escrever sobre relacionamentos que antes nunca havia feito”.

“O trabalho em grupo proporciona através da escuta do outro, um aprofundamento da sua própria história de forma a facilitar o processo de criação“.

“Aspectos invisíveis da nossa história vem à tona possibilitando um olhar e uma compreensão diferenciados, o que nos proporciona melhor acolhimento da questão, provocando assim uma sensação de leveza.”

 

Oficina no Espaço Cultural da Biblioteca do Congresso Nacional da Argentina, que se desenvolveu com 20 alunos que participam da Oficina de Escrita e Leitura da instituição, coordenada por Adriana Agrelo.

Adriana y Graciela, gracias por la oficina, su contenido, su mensaje, su reparación y la calidez que nos transmitiste. Me sentí muy a gusto. Siempre recuerdo mis muertos, mis pérdidas y creo que escribo para repararlas y repararme. Gracias.

 “Querida Adriana: te agradezco la clase con Graciela de hoy lunes. He vuelto recontenta, hasta quería abrazar al chofer del ómnibus. Todo me parece lindo y fue un encuentro depurador, sin dudas. Cariños. “

  “Adriana: Te envío ejercicio que hicimos en clase de Prof. Graciela Chatelain, persona muy generosa e interesante, que trató de sacar de nosotros lo mejor que pudo.”

“Gracias Graciela. Fue una experiencia muy rica. Felicitaciones por tu trabajo”.

“Fue una hermosa experiencia. Cariños.”

Otros Talleres; otras palavras.

DEPOIMENTOS DEL TALLER DE SEPTIEMBRE DE 2014 EN BUENOS AIRES, ARGENTINA

Hola a todos, les escribo para agradecer lo compartido en el excelente taller que nos trajo Graciela, que bueno sería continuar en contacto, para ir compartiendo experiencias!!!

Muchas Gracias Graciela, por la humildad en la transmisión de tus conocimientos!!!  Saludos. Daniel

Gracias , Daniel comparto tus deseos. Fue un placer conocerlos y escucharlos. Saludos. Graciela.

Tal cual!! Excelente Taller! Qué buen grupo de trabajo! Un deseo: volver a encontrarnos… Abrazo enorme!!         Isa Moreno.

Realmente fue una experiencia enriquecedora, conmovedora y realmente me gustaria que no perdieramos el contacto…gracias por todo lo compartido. Graciela Laucella

Coincido plenamente! Una experiencia hermosa. Gracias por compartirla.
Besos y Abrazos,
Guille.

Gracias Graciela por tus palabras, aunque sé que a mí no me caben en su totalidad. Lamentablemente el último día surgieron obstáculos laborales insuperables (de entrada sabía que era un riesgo, dado el horario de la actividad).  Por cierto, a todos, les​ agradezco la apertura y la escucha.    Ojalá sea factible, a futuro, planear algo similar pero en horarios más accesibles.      Les envío abrazos a todos los integrantes.    Raúl.

Hermoso Grupo, cuantas Esperanzas compartidas en cuatro intensos dìas!  Entre niñez y vivencias, descubrièndonos a travès de las  infancias generosas de cada uno.

Gratitud y generosidad en la construcciòn del maravilloso encuentro!  Gracias, Norma, Guillermo,  Isa, Pio, Cecilia, Maria, Graciela morena, Graciela dorada, Pio, Dani, Juliàn, Silvia, Cecilia, Raùl, Ana Quiroga, quienes de la mano màgica de nuestra . Hermosa Graciela Chatelain, nos fundimos en un vìnculo inolvidable!

Gracias a todos! Ana.

Decirte gracias no es suficiente. Nos diste lo que sabés con tanto cariño y habilidad que ya estamos todos comunicándonos para seguir juntos de alguna manera. Lograste mejorarnos, unirnos y mucho más. Nos abriste caminos. Los mails que nos envíamos siguen reparando. Con todo cariño un abrazo gigante y fuerte. Norma y no dudo de todo el grupo.

El Personaje. Graciela Chatelain.
Nos miró a todos. No sé cómo hizo pero a todos. Hablaba en voz baja y le alcanzaron un micrófono. Tenía mucho para decirnos y mucho para ayudarnos. En unos minutos estábamos saltando como monitos educados bajo su batuta invisible que nos iba soltando e insuflando aires de solidaridad. Así seguimos entre danzas y mucho amor. Escribimos nuestras historias comunes, las que guardadas con temor, arrepentimiento y/o aparente indiferencia nos lastimaron ayer, nos lastiman hoy, mañana… Ya estamos mejor, agradecidos y deseando que el cuento continúe. (Escrito el  29-9-2014).

Graciela, dejaste un tibio lugarcito en mi alma, espero que algún día volvamos a encontrarnos, realmente me hizo mucho bien lo que nos brindaste , no me cabe duda con mucho Amor.

Te mando uno de los escritos, el que mas me gusta a mi…espero que estés muy bien. 

Un abrazo de Oso Panda…

ESCENA DE LA INFANCIA:

Quiero Recuperarte…

Pequeña de pelo oscuro, casi igual al color de tus ojos. Tu vestido amarillo con bordados de lunares blancos, se mueve al ritmo de tu pedaleo en esa bicicleta roja, con el viento cortando tu paso…hermosa sensación de libertad!…envuelta en el olor de la leña encendiendo fuegos. 

Hermosa arboleda, protectora, majestuosa…tibia como una cuna verde…

Quiero recuperarte, para no olvidarme nunca lo feliz que fuiste niña, en tu amada Mendoza, en las cálidas tardes de un verano antiguo….

PD: Lo vivido en ese hermoso espacio que nos creaste me hace recordar esta frase “lo cotidiano se vuelve mágico”…

Graciela Laucella

»

  1. TIVE OPORTUNIDADE DE PARTICIPAR POR DUAS VEZES DA OFICINA DE APRENDER PARA REPARAR.SIMPLESMENTE ME SURPREENDI COM O RESULTADO! AMEI! COLEI NO CIEG,TUDO DE BOM E QUE PRECISAMOS PARA CONSTRUIRMOS ALGO MELHOR!

  2. A Oficina a Arte de Escrever para Reparar, é um presente maravilhoso trazido por Graciela Chatelain. Nos dá uma gama de possibilidades para aprendermos a aprendermos com a nossa história, com a história do outro, e tudo com criatividade, leveza, e poesia.

    • Oi Gel querida, obrigada, obrigada; sem vcs nada seria possível eu sou apenas um instrumento. Envia algo do que vc escreveu na Oficina para poder postar e vc ter presença literária no Blog.
      Um beijão e obrigada por me acompanhar nos desafios.
      Graci

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s